Esta coleção conta com publicações que discorrem sobre os caminhos e as tortuosidades dos processos de construção da linguagem e da constituição do sujeito. Começar na linguagem é estar sujeito ao trôpego embalar das vozes sonorizadas e musicalizadas por um outro que na dialética do externo e interno, promove o entrecruzamento do sujeito. O nascer na linguagem inscreve um segundo parto, um partir alhures dos limites biológicos, reconhecendo-os como balizas originais e constitutivas.

Nosso propósito com esta coleção será sempre proporcionar ao leitor uma literatura variada num escopo transdisciplinar sobre a prática e o saber sobre o infans.

A multiplicidade de saberes sempre fará parte desta coleção, e ela não se deterá em fronteiras, quer sejam elas geográficas ou disciplinares, pois abrigará aqueles que problematizam e ampliam o campo de compreensão, investigação e intervenção junto ao infans, nas relações que este estabelece com o outro, com as instituições e com seu próprio corpo.